Quarta-feira, 28 de Março de 2012

A pior coisa que podia ter acontecido ao PS foi a eleição de António Seguro

para Secretário-geral do partido. Num momento em o Governo procura reencaminhar a indignação dos portugueses para o legado de Sócrates; num momento em que os "juizes sindicalizados" procuram "investigar" 14 ministros do Governo de Sócrates, por utilização de cartões de crédito; num momento em que Nuno Crato, ministro da Educação, continua a arrasar o Parque Escolar; numa altura em que até Passos Coelho, que prometeu nunca falar do passado, se vem desculpando com a "herança do Governo anterior", o secretário-geral do PS, António José Seguro, está ausente de Lisboa, onde tudo se decide e onde a máquina partidária da Coligação de direita continua a desculpar-se com os problemas deixados por Sócrates, sem que o Secretário-geral diga uma única palavra em defesa dos Governos do PS. Por azedume, cobardia ou ódio dissimulado contra Sócrates, António Seguro não assume a responsabilidade de defender o seu antecessor. Inseguro de si, mas seguro de que não foi ele a assinar o Programa da Troika, o actual dirigente do PS deixa o terreno livre para que a direita revanchista possa arrasar a herança de Sócrates. Ao proceder assim, Seguro está a ajudar a direita a ganhar terreno. Até Passos Coelho vem afirmando que «não fomos nós, que negociámos o acordo com a Troika», mentindo grosseiramente pois o representante do PSD que negociou com a Troika foi Eduardo Catroga, seu mandatário. Foi Catroga quem avançou com o corte de 50% no subsídio de Natal e a redução de 4 a 8% na TSU -- indo assim, «mais além da Troika". Seguro é um dirigente fraco, medricas, que gosta de "cortesia e elegância" no trato com os adversários. Ora, em política, quem tem convicções fortes, deve lutar por elas, defende-las com energia, mostrar que tem aptidão, que tem experiencia, e que respeita a história do seu partido. Com Seguro, o PS está destinado a fazer uma travessia do deserto que poderá durar 4, 8 ou mais anos de pesadelo. Agora, e fazendo mimetismo com Passos Coelho, Seguro pretende alterar os Estatutos do PS, para aumentar o mandato do Secretário-geral de 2 para 4 anos... Está-se a ver a trapaça que o Seguro pretende realizar. Ele sabe que é fraco, amorfo e não tem alma para dirigir um partido político como o PS, que tem um largo historial de governação. Para assegurar o seu reinado à frente do PS, Seguro tenta fazer um "golpe palaciano", para conseguir manter-se à frente do PS depois de 2013. Espero bem que não consiga obter tal vantagem. Para bem do PS, da democracia e do país.

O urso não está com dor de cabeça. Está apenas a dormir em ambiente frio.



publicado por Evaristo Ferreira às 11:46 | link do post

Comentar:
De
 
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres



Copiar caracteres

 



mais sobre mim
Abril 2013
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
10
11
12
13

14
15
16
17
18
19
20

21
22
23
24
25
26
27

28
29
30


posts recentes

FIM DE CICLO...

A ENTREVISTA DE SÓCRATES

SÓCRATES NA RTP

PASSOS DE JOELHOS

DESCRÉDITO TOTAL

COM PAPAS E BOLOS...

É A ECONOMIA, ESTÚPIDO!

OS PROFETAS DOS "MERCADOS...

QUE SE LIXE O "PÚBLICO"

OS PAPAGAIOS DO COSTUME

arquivos

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

links
blogs SAPO
subscrever feeds