Segunda-feira, 27 de Dezembro de 2010

As élites políticas do país continuam ressabiadas desde as eleições legislativas realizadas a 27 de Setembro de 2009. Ressabiadas porque contavam com a derrota do PS (leia-se José Sócrates) e, pelo contrário, foi este o vencedor, embora com maioria relativa. O eleitorado continuava a confiar em Sócrates, mas penalizava-o, obrigando este a negociar com a oposição. Ao constatar este facto, a oposição ganhou fôlego para vingar-se de Sócrates. Uniram-se todos no Parlamento (PSD-CDS-PCP-BE) para contrariarem a governação de Sócrates. Foram criadas alianças esporádicas e gerados consensos espúrios tendo em vista anular todas as propostas do Governo. Não estava em causa o "interesse do país", mas tão somente os interesses partidários. Este "caldo político" gerou ódios, vinganças, relações concubinas, "santas alianças, e tudo o que a ira e o fel podem fornecer para gerar um clima de tensão política. Os meses seguiram-se, e, um ano depois, Portugal estava sem soluções à vista, entregue aos "mercados", que aproveitaram o desvario dos políticos portuguses. Foi preciso Cavaco Silva "soprar" aos ouvidos de alguns dos seus amigos para que a calma e o bom senso regressasem ao seio do PSD. Neste momento o PSD sabe que vai ser governo, só que a crise das finanças portuguesas é de tal ordem que nenhum dirigente ousa avançar já... Aguardam por melhores dias. Ésta atitude do PSD compreende-se e aceita-se, pois governar o país na presene conjuntura económica e financeira é demasiado dificil. O país vai iniciar um ano muito dificil, por isso é bom que, da parte da oposição, haja serenidade e bom senso. Isso ajudará, e muito, à resolução dos problemas, pois os "mercados" sempre terão em conta a coesão política e social do país. Porém, as élites de "papagaios-analistas-comentadores", essas vão continuar a chafurdar na cultura dos ressabiados. Ressabiar, perorar, mal-dizer, é uso e costume dos que pouco ou nada produzem. A sua quota-parte na "produtividade" nacional, é tagarelar, palrar, dar bitaites... Trata-se de uma tradição muito antiga, que vem dos tempos de D. Dinis, das histórias de "escárnio e mal-dizer". Além disso, sempre tivemos "Velhos do Restelo", incapazes de fazerem obra, gerirem conflitos, passarem "além da Taprobana" e vencerem o Cabo das Tormentas.

Á margem destas considerações importa ter em conta que os "papagaios" palradores repetem o que ouvem até à exaustão. Além do mais, estes "papagaios" vivem em rede, repetem-se uns aos outros, criando, assim, uma chinfrineira de sons, que os leva a palrar dia e noite sem parar, até que a garganta lhes dôa... Chegados aqui, bebericam uns gins, uns scotch e tudo volta ao mesmo... Indefenidamente.



publicado por Evaristo Ferreira às 15:07 | link do post

Comentar:
De
 
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres



Copiar caracteres

 



mais sobre mim
Abril 2013
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
10
11
12
13

14
15
16
17
18
19
20

21
22
23
24
25
26
27

28
29
30


posts recentes

FIM DE CICLO...

A ENTREVISTA DE SÓCRATES

SÓCRATES NA RTP

PASSOS DE JOELHOS

DESCRÉDITO TOTAL

COM PAPAS E BOLOS...

É A ECONOMIA, ESTÚPIDO!

OS PROFETAS DOS "MERCADOS...

QUE SE LIXE O "PÚBLICO"

OS PAPAGAIOS DO COSTUME

arquivos

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

links
blogs SAPO
subscrever feeds