Quinta-feira, 13 de Setembro de 2012

Embora ainda esteja sob o estado de choque, causado pelo anúncio de mais

austeridade, o país começa a reagir. Agora estamos a aguardar que o Presidente Cavaco Silva tome uma decisão, contra este Governo, a condenar a loucura das medidas de austeridade que Passos Coelho quer impôr ao país. O que se espera, da parte de Cavaco Silva, é um discurso similar áquele que proferiu na Assembleia da República em 9 de Abril de 2011, aquando da tomada de posse do seu segundo mandato. Um discurso frontal, onde apele a um "sobressalto cívico na sociedade" e aos "jovens para que façam ouvir a sua voz", protestando contra este Governo. Nada mais que isto, pois foi com este discurso que Cavaco Silva abriu caminho à direita, aos indignados, deolindos e enrascados, que levaram à rejeição do PEC-4 e á demissão de José Sócrates. É o mínimo que se espera de um presidente da República, isento, patriótico e democrata. Se Cavaco Silva tinha razões para dizer o que disse na altura, muito mais razões tem agora, justamente quando Bagão Félix, Medina Carreira, João Salgueiro, Manuela Ferreira Leite, António Capucho, Jorge Miranda, Rui Machete, Freitas do Amaral, Bacelar Gouveia, os patrões do Comércio e os da Indústria e o povo em geral, já se pronunciaram contra as barbaridades cometidas por este Governo.

Segundo informações veiculadas pela Casa Civil de Cavaco Silva, o presidente estará

disponível para aderir ao protesto cívico contra este Governo, dado que, tambem ele

está a ser prejudicado com o corte nas suas pensões, que mal chegam para comer...



publicado por Evaristo Ferreira às 15:09 | link do post | comentar

Quarta-feira, 12 de Setembro de 2012

A Troika cedeu, aceita um défice maior, alargou o prazo, e até dava mais

dinheiro. Mas Passos Coelho e o seu ministro Vitor Gaspar, recusaram mais dinheiro e optaram por continuar a massacrar-nos com mais impostos, indo muito para "alem da Troika". Reformados, trabalhadores por conta de outrém e funcionários públicos, continuam a ser roubados nos seus vencimentos. O ano de 2013 vai ser uma calamidade para o povo português. Todavia, este "regabofe" de tropelias e mentiras do Governo, parece não indignar o zé povinho. Porque será?... Por muito menos, no primeiro trimestre de 2011, a esquerda aliou-se à direita para chumbar o PEC-4 e demitir José Sócrates. Então, e agora? O pais está melhor, com esta corja? As pessoas têm mais dinheiro, mais emprego, menos impostos, mais deduções na Saúde e na Habitação? Claro que não. Então, porque é que o povo está manso? Onde estão as multidões de "Indignados" e "Deolindos", a "Geração à Rasca", os professores, o Mário Nogueira da FENPROF, os magistrados, os polícias e militares à civil, que se indignaram contra Sócrates, e que ajudaram esta "gente séria"  a chegar ao "pote"? Estará, toda esta gente de queixo caído, incrédula e surpresa com o que está acontecendo? Será que toda aquela gente "indignada" está em estado de choque, por não acreditar no que está a acontecer? De facto, Passos Coelho e a sua corja, prometeu não aumentar impostos, não roubar os subsídios de Férias e de Natal, não aumentar os transportes nem o gas e a electricidade. Prometeu, solenemente, que ia "cortar nas gorduras do Estado", e nos "custos intermédios" -- nunca iria aumentar os impostos!... Mas, Passos Coelho mentiu a toda a gente. Ele e os seus apaniguados, o que queriam, era chegar ao "pote". Depois, esqueceram-se dos compromissos e da "palavra dada", e tornaram-se donos e senhores deste "jardim à beira-mar plantado", onde criaram um laboratório destinado a novas experiências sobre o "empobrecimento" das nações. Agora, os "indignados e os deolindos" (que ajudaram esta corja a chegar ao "pote"), são tratados com desdém e desprezo. "Larguem a vossa «área de conforto» e emigrem" -- respondem-lhe os neoliberais, com cinismo.

O que eu acho é que o povo ainda está de "queixo caído", surpreso e confuso, com o que está a acontecer. O povo precisa de um abanão, para reagir e tomar o futuro nas suas mãos. Essa tarefa compete aos sindicatos, às confederações de trabalhadores. É preciso mobilizar o povo para a luta contra este Governo, que nos desgoverna e nos arrasta para a miséria. É preciso que os sindicatos apelem à coragem e à mobilização das pessoas. O que está a acontecer, é que cada vez há mais mais pessoas com medo, medo do Estado, medo dos patrões, medo de perder o pouco que ainda têm. Vivemos numa ditadura de burocratas rubôtizados. Num mundo de lobos, vestidos de cordeiros.

Impostores, mentirosos, farsolas e imcompetentes. Esta é a gente que nos governa.



publicado por Evaristo Ferreira às 14:55 | link do post | comentar | ver comentários (1)

Terça-feira, 11 de Setembro de 2012

Já conheciamos a Cartiha Maternal, a Cartilha Escolar, a Cartilha das Rimas,

a Cartilha do Marialva, a Cartilha das Corporações, a Cartilha do Comércio Justo, e agora temos a Cartilha da Arte de Bem Mentir a todos os Portugueses, editada pelo Gabinete de Propaganda deste Governo, dirigido pelo "doutor" Miguel Relvas. Trata-se de um manual destinado às boas práticas de vender "gato por lebre", mentindo descaradamente aos contribuintes portugueses. Este Governo de imberbes e inexperientes, criou um compêndio de propaganda, para mentir sobre as suas medidas de austeridade. Nunca me passou pela ideia, de que esta "gente séria", fosse tão longe na mentira, instituindo um "manual sobre boas práticas" para mentir aos cidadãos. Este Governo encaminha-se para fazer da "mentira" uma poderosa arma de propaganda da sua governação. Chegámos a isto, 15 meses depois de nos prometerem "rigôr, exigência e clareza" -- já que, o contrário de tudo isto, era praticado pelo malvado Sócrates. Veja-se aqui os pormenores da Cartilha dos Mentirosos.

Neste Governo quem mais tem mentido aos portuguses, tem sido Passos Coelho.

Agora, com a Cartilha das Mentiras, já ninguem pode confiar nesta "gente séria".

O nariz dos ministros e comissários deste Governo vai continuar a crescer, até ao

impossivel, tantas são as mentiras que têm para nos pregar...

 



publicado por Evaristo Ferreira às 17:19 | link do post | comentar

Segunda-feira, 10 de Setembro de 2012

A comunicação ao país, feita pelo primeiro-ministro Pedro Passos Coelho,

para anunciar algumas das medidas de [mais] austeridade a incluir no Orçamento Geral do Estado para 2013, representa o limite da linha que define a tolerância e a permissão entre governantes e governados. O que foi dito pelo primeiro-ministro é inaceitável dado que o Governo não vai cumprir o défice de 4,5% este ano, e porque a solução apresentada por Passos Coelho é mais uma "dose de veneno" (igual às anteriores), que vai afundar a economia nacional e gerar pobreza na generalidade da classe média. O primeiro-ministro continua, sózinho, alucinado e teimoso, a querer impôr uma política de empobrecimento do país, que pode resultar numa espécie de modelo kmeriano, implantado no Camboja por Pol-Pot nos anos de 1975-1978. O regime dos kmers vermelhos tinha por missão destruir o modelo político e económico vigente, para depois implantar um regime de escravidão, tirania e pobreza extrema. Um regime de pobreza total, onde cada um nada tinha de seu, nem sequer um garfo ou uma colher para poder comer uma refeição. O discurso de Passos Coelho trouxe-me á memória as imagens do regime tirano implantado por Pol-Pot. Com a teimosia e paranoia do "custe o que custar", do nosso primeiro-ministro, o país está a afundar-se de dia para dia, até à pobreza total, e a fazer com que os portugueses se decidam a revoltar-se, contra esta corja que nos governa. Esta é a minha opinião. Tres dias depois, já muito foi dito e repetido, nas televisões, nas rádios, nos jornais e na blogosfera. Apesar disso, o clamor, a raiva e o protesto continuam a aumentar. Vamos entrar num ciclo de "rotura do consenso social". Vamos assistir a manifs, greves e protestos espontâneos. O Governo desta "gente honrada, cumpridora da palavra dada", falhou, aumentou a dívida para 118%, fez tábua rasa dos direitos e garantias de quem trabalhou toda uma vida, no sector privado, e agora esta "gente honrada", rouba-lhe dois meses de pensão. Disseram-nos que era para "salvar o país", mas foi para piorar tudo. Prometeram-nos ser exigentes e rigorosos, mas agora vêm pedir-nos mais sacrifícios, dizendo-nos que a culpa é do Tribunal Constitucional... Se isto não é uma corja de gente, que outra coisa podemos dizer?

 

Enquanto pedem sacrifícios ao povo, os governantes utilizam os dinheiros

do Estado para comprar carros de luxo, como aconteceu com o primeiro-

ministro, a quem foi entregue este verão um Mercedes de alta cilidranda.



publicado por Evaristo Ferreira às 11:51 | link do post | comentar | ver comentários (1)

Sexta-feira, 7 de Setembro de 2012

Na reunião de governadores do BCE, realizada ontem, foi decido manter a

actual taxa de referência. Alem desta medida, foi tambem tomada uma importante decisão que pode significar "o fim da morte do euro". A solução é brilhante, na medida em que, não sendo o BCE uma espécie de Reserva Federal, foi ultrapassado o entrave à compra de dívida pública dos países que estejam sob assistência financeira ou tenham programas de ajuda supervisionados pelo Fundo de Estabilização Financeira da UE. Trata-se de um mecanismo que vem facilitar, para já, a Grécia, a Irlanda e Portugal. Falta agora saber como vai Passos Coelho conciliar a sua tese de "cumprir o programa da Troika, sem mais facilidades", tal como pregava Angela Merkel. O mundo é composto de mudança, e só o que está morto é que não se move. O que ontem era absoluto, passou a ser relativo, pouco tempo depois. Passos Coelho colou-se demasiado a Angela Merkel, ao recusar os eurobonds como solução para o fim da crise do euro e das dívidas soberanas. Vai agora recusar, esquecer a nova realidade? Portugal, por obra e graça do fenómeno "mudança", está agora numa situação de poder emitir dívida com juros muito baixos, comprados pelo BCE. Por esta via, Portugal vai pagar menos, e ser beneficiado em milhões de euros com os baixos juros da dívida. Passos Coelho deve descer do pedestal "custe o que custar" e aceitar esta oportunidade oferecida pelo BCE.

ADENDA: - O INE divulgou hoje novos dados do semestre. O PIB baixou 3,3%, o consumo interno desceu 6% e o investimento regrediu 18,7%. Por este andar, Passos Coelho não vai cumprir o défice de 4,5%. Talvez fique pelos 6,2%, para "alem da Troika"... Um autêntico "regabofe" de descontrolo orçamental.

Vista geral do campus da Universidade Federal do Extremo Oriente situada na

ilha de Russky, em Vladivostok, Rússia, onde decorre a reunião dos países APEC.



publicado por Evaristo Ferreira às 11:41 | link do post | comentar

Quinta-feira, 6 de Setembro de 2012

Não sabemos qual vai ser a decisão da Troika, após concluir a quinta avaliação

aos trabalhos de execução orçamental, efectuados pelo Governo de Passos Coelho. É natural que o primeiro-ministro já tenha uma ideia sobre a decisão que a Troika vai tomar. Tanto pode ser de aceitação e tolerância, como pode ser de recriminação e suavização. Desta vez a Troika parece não estar disposta a dar uma conferência de imprensa, para explicar o andamento das reformas e elogiar o Governo por ser um "bom aluno". Será o primeiro-ministro quem vai apresentar o balanço da auditoria. E já é certo que vai ser duro e implacável, ao anunciar mais medidas de austeridade. Ele gosta de enfrentar as adversidades, dizem os amigos. O indigitado presidente do Conselho de Administração da RTP, Alberto da Ponte, disse de Passos Coelho o seguinte: «É um homem que tem uns nervos de aço e uma capacidade de encaixe e uma frieza que são absolutamente extraordinárias». Sim, já sabemos que Passos Coelho não gosta de gente "piegas" nem de "histerias". Passos Coelho não é um robô, mas tambem não é um humanista, solidário e atento. É um homem dos "mercados", dos numeros, do Deve & Haver. Frio, calculista, mortal.

Entretanto, os lóbis do sector privado, fazem caminho. Recomendam cortes na função pública e na despesa do Estado, ou seja, nos mesmos de sempre: os empregados públicos e os reformados (do Estado e do Privado). Mas Passos Coelho prometeu cumprir com a recomendação do TC : os sacrifícios devem ser repartidos de forma equitativa. Vamos esperar para ver.

Os "mercados" ficaram desiludidos com Mario Draghi, governador do BCE. A maior parte dos

jornais desta manhã, dava como certo uma descida de 0,25% nos juros. Draghi fez bem ao

manter a taxa nos 0,75%. No actual contexto não é com a baixa de taxas que a economia vai

crescer. O prolema são as dívidas soberanas. Descer mais a taxa de referência, serviria para

a banca de investimento engordar mais, comprando dívida soberana a 6 oou 8%... O BCE já

ofereceu à banca, por duas vezes, mais de 900.000 milhões. Este dinheiro, em vez de ir parar

à economia, ás pequenas empresas, acabou por voltar ao BCE, a pagar as dívidas dos bancos.

 

 



publicado por Evaristo Ferreira às 14:57 | link do post | comentar

Quarta-feira, 5 de Setembro de 2012

Este Governo, liderado por Passos Coelho, todos os dias nos surpreende.

Um dia é pelo Álvaro, outro dia é pelo arrelvado Relvas; uma semana é pela ministra da Lavoura, outra semana é pelo ministro das Tropas; quando não é por um ministro é pelo secretário da Cultura ou pelo "contratado" António Borges; e por entre todos eles, quando não é pelo primeiro-ministro Passos Coelho, é pelo aliado da Coligação, ou seja, o Dr. Paulo Portas, naqueles dias em que está em Portugal. Nos últimos dias temos assistido a uma série de declarações, vindas dos nossos governantes, que nos deixam abismados e incrédulos. A grande fonte de surpresas está a ter origem no CDS/PP, partido que serve de muleta a Passos Coelho. Paulo Portas aliou-se a Passos Coelho para poder chegar ao "pote". Dividiram os ministérios e secretarias em conformidade com as normas do "casamento por conveniência", e acabaram por se entender para formar Governo. Mas a verdade é que, ao longo destes 15 meses de governação, Paulo Portas raramente apareceu ao lado de Passos Coelho nas horas de "temporal" e de crise, causados pela execução do Programa da Troika. Portas sempre fugiu à tempestade, abrigando-se no Palácio das Necessidades. Agora com a publicação dos resultados da execução orçamental divulgados pela UTAO, é pública e notória a desavença entre Pedro e Paulo. O divórcio pode estar para breve. Portas não quer assumir a sua quota-parte nas responsabilidades que lhe cabem, pelo colossal falhanço nas metas do Governo. E recusa comprometer-se com algumas medidas. Vai dizendo que "chega de impostos"; que a "lei autárquica penalizaria o CDS/PP"; que o Aeroporto Sá Carneiro deve ficar fora da privatizado da ANA; que a "RTP não pode ser privatizada", e deve ccumprir com o "serviço público", etc.  Convém lembrar que, em 1993, Paulo Portas defendia a privatização da RTP, nas colunas do Independente, do qual era director. Outros tempos -- dirá Paulo Portas. A verdade é que, de dia para dia, à medida que o falhanço do "custe o que custar" se vai revelando cada vez mais aterrador, Paulo Portas vai tirando o "cavalinho da chuva", e procura abrigar-se da tempestade que aí vem. Portas descarta-se das "reformas estruturais" de Passos Coelho, e mostra que, para ele, o interesse partidário está acima do interesse nacional.

Estaremos cá para ver como vai acabar o "casamento de conveniência" entre PSD e CDS/PP.



publicado por Evaristo Ferreira às 14:45 | link do post | comentar | ver comentários (1)

Terça-feira, 4 de Setembro de 2012

Pelo que se ouviu ontem, as coisas não correram bem na reunião da Troika

com os parceiros sociais.  Se as coisas não correram bem, é por culpa do Governo -- terá sido este o desabafo dos funcionários da Troika. Da parte do Governo ainda não sabemos o que está acontecendo. Possivelmente, Passos Coelho ainda espera um milagre, com a Troika a defender "o bom aluno", mas a recordar que as "reformas estruturais" ainda não foram completadas, e que as "rendas excessivas" ficaram aquem do esperado. Como cidadão, devo dizer que a culpa está do lado de Passos Coelho e do seu executivo. Foram "alem da Troika", roubaram os pensionistas e os funcionários públicos, arrasaram o consumo interno, destruiram a economia. Quem assim procede, só pode ser "aprendiz de feiticeiro" ou gente que está convencida de ter uma solução milagrosa. É gente que não tem os pés assentes na terra. Anda a vaguear no espaço sideral. Aguarda-se o desfecho desta tragédia, que nos colocou à beira do abismo, e aumentou a dívida pública para 118% do PIB.

Em dia de aniversário, não quero ficar por aqui. Vou festejar e ser feliz. 

Está a decorrer em Vladivostok, a 7.000 kms de distância de Moscovo, a reunião

da Asia Pacific Economic Cooperation (APEC), que reune cerca 61 países da Ásia 

e EUA. A Rússia renovou, para este fim, toda a estrutura de Vladivostok, incluindo

pontes, estradas de acesso e novos edifícios públicos. Houve atrasos, talvez devido

ao rigoroso clima de inverno. Na imagem um dos hoteis da cadeia americana Hyatt

Internacional Hotel, que servirá para alojar parte da numerosa comitiva da APEC.

Mal-amada pela Europa Ocidental, a Rússia expande-se para o sul da Ásia-Pacifico.



publicado por Evaristo Ferreira às 11:59 | link do post | comentar | ver comentários (1)

Segunda-feira, 3 de Setembro de 2012

Os discursos deste fim de semana, feitos por Pedro Passos Coelho e pelo

líder do PS, António José Seguro, representaram uma mão cheia de nada. O primeiro-ministro veio dizer que o "défice está a cair", e o líder do maior partido da oposição disse que "o PS não está para mais austeridade". Sobre o país e o próximo Orçamento de Estado, ficámos a saber nada. Ambos falaram para um grupo de futuros "jotas", mas não para o país. Ambos falaram da epopeia troikiana, mas os portugueses nada ficaram a saber sobre o futuro. Ambos fizeram um discurso ataviado, mas não conseguiram empolgar a assistência. Ambos falaram sem fulgôr nem convicção, sem brilho nem alma, sem certezas nem esperança. Com líderes deste calibre, o país não vai longe. Pedro Passos Coelho é um liberal, e António José Seguro é um socialista desenxabido. Ambos vieram das "jotas", ambos se formaram no aparelho partidário, mas não têm carisma nem experiência governativa. Estão bem um para o outro, tal como os Dupont & Dupont da banda desenhada.

ADENDA - As eleições em Angola vieram provar que o país tem futuro. O civismo dos eleitores contribuiu para a forma ordeira e cívica do acto eleitoral. Todavia, por cá, as "vestais" do costume apenas salientaram que a Unita vai impugnar as eleições. Tambem aqui os Dupont & Dupont aparecem a replicar os lamentos dos ressabiados. Sou espectador regular da Televisão Popular de Angola. Na véspera das eleições, 6 partidos (entre eles a FNLA) apelaram ao voto no MPLA, e a Unita (que temia os 10% das últimas eleições), acabou por ir a votos, e subir para uns 18%. Mas os Dupont & Dupont acham que tudo correu mal. Para os Dupont, eleições livres só nos States, onde em 2001 foi eleito George Bush (só tomou posse um mês depois, devido ao imbróglio), apesar de ter menos votos do que Al Gore. Os Dupont continuam a falar de "corrupção em Angola", como se em Portugal ela não existisse. Este país luso, com mais de 850 anode história, não tem corrupção. Talvez seja por isso que, agora, há quem se auto-proclame de "gente honrada". Não, nós não tivemos a choldra do BPN, a submersão dos submarinos, a ficção do BPP, nem o organista Duarte Lima, ou tão pouco o "tio Isaltino". Este país não sabe o que é corrupção, porque aqui não há corrupção... Pelo menos foi o que disse ontem a Procuradora Cândida de Almeida, à saída da pseudo Universidade de Verão do PSD, em Castelo de Vide.

Os discursos "académicos" de ontem, proferidos por Pedro Passos Coelho

e António José Seguro, nas suas "Universidades Relveanas" foi um fiasco.



publicado por Evaristo Ferreira às 14:52 | link do post | comentar | ver comentários (1)

mais sobre mim
Abril 2013
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
10
11
12
13

14
15
16
17
18
19
20

21
22
23
24
25
26
27

28
29
30


posts recentes

FIM DE CICLO...

A ENTREVISTA DE SÓCRATES

SÓCRATES NA RTP

PASSOS DE JOELHOS

DESCRÉDITO TOTAL

COM PAPAS E BOLOS...

É A ECONOMIA, ESTÚPIDO!

OS PROFETAS DOS "MERCADOS...

QUE SE LIXE O "PÚBLICO"

OS PAPAGAIOS DO COSTUME

arquivos

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

links
blogs SAPO
subscrever feeds