Sexta-feira, 7 de Janeiro de 2011

13.740 poderia ser o número da Taluda, mas não é, antes pelo contrário. O prémio da Taluda seria justo, já os 13.740 sorvedouros que chupam o erário público, é uma calamidade sem fim. O Diário de Notícias (DN) deu hoje início a um trabalho jornalístico destinado a "investigar temas que estejam para além das agendas oficiais e da espuma dos dias". Este trabalho do DN, que imprime um novo cunho ao "jornalismo de investigação, vem colocar este "jornal de referência" na vanguarda da imprensa nacional. É possivel que, com este trabalho, surjam oportunidades para se iniciar uma nova era nos meios de informação portuguesa. O nosso jornalismo bem precisa de uma asa que o eleve acima da "espuma dos dias". Pelos dados apresentados hoje, o DN inova, e presta um serviço muito útil aos seus leitores. Comparo esta iniciativa uma "pedrada no charco", muito ao jeito do que faz a Wikileaks.

Neste primeiro dia o DN deu-nos um relance sobre "O Verdadeiro Retrato do Estado"." Temos 13.740 organismos públicos, [dos quais] só 1.728 apresentam contas, [e] apenas 418 são fiscalizados". Da riqueza anual produzida pelo país, 49 por cento é gasta pelo Estado, que há tres décadas não pára de aumentar. "O prório Estado não conhece" a totalidade das entidades financiadas pelo Orçamento, o que representa cerca de 90 por cento da máquina estatal sem controlo. A despesa do Estado, ou seja, "o monstro" -- assim foi apelidado por Cavaco Silva --  não pára de aumentar. Os dinheiros públicos sumem-se através de "10.500 entidades da administração central, 1.500 empresas públicas, cerca de 350 institutos e 1.100 fundações e associações", que empregam 660.000 pessoas, e estas consomem 81 mil milhões de euros, o equivalente a 49 por cento da riqueza produzida pelo país... Sim, o Orçamento de Estado tranformou-se num "monstro" insaciável e pesadissimo.  A despesa pública aumenta a uma velocidade de 152.207 euros por minuto...

Recomendo vivamente a leitura do DN sobre este assunto. É preciso conhecer a verdade. É preciso estarmos conscientes de que precisamos mudar de vida. Por este andar, não vamos a lado nenhum, a não ser à falência do Estado e dos cidadãos.

Espero e desejo que a Direcção do DN faça uma compilação, em livro, deste exaustivo trabalho jornalístico.



publicado por Evaristo Ferreira às 14:52 | link do post | comentar

mais sobre mim
Abril 2013
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
10
11
12
13

14
15
16
17
18
19
20

21
22
23
24
25
26
27

28
29
30


posts recentes

FIM DE CICLO...

A ENTREVISTA DE SÓCRATES

SÓCRATES NA RTP

PASSOS DE JOELHOS

DESCRÉDITO TOTAL

COM PAPAS E BOLOS...

É A ECONOMIA, ESTÚPIDO!

OS PROFETAS DOS "MERCADOS...

QUE SE LIXE O "PÚBLICO"

OS PAPAGAIOS DO COSTUME

arquivos

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

links
blogs SAPO
subscrever feeds