Quarta-feira, 9 de Novembro de 2011

"Os mercados continuam nervosos" -- afirmam os analistas financeiros. 

Se estão, é porque têm condições para continuar a "encher o saco", sem que nada nem ninguem lhes possa fazer frente. Na última reunião de ministros das Finanças da Zona Euro, esteve na mesa a aplicação de uma taxa sobre transações financeiras, mas os "mercados" (eufemismo para definir os operadores financeiros) rejeitaram a proposta, com veemência. O "mercado" que desde sempre rejeitou a taxa Tobin foi a City de Londres. E com ela alinhou Wall Street, praça nova-iorquina, e alguns bancos europeus. Ao fim e ao cabo, os "mercados" é aquela gente que manipulou o crédito de alto risco norte-americano, conhecido por subprime. Perderam a batalha do subprime, mas agora escaramuçam na área da "dívida soberana" de alguns países europeus. Onde houver fragilidade, lá estarão os "nercados" a ganhar, com a subida dos juros, o downgrade dos ratings, e novamente com o agravamento dos juros agiotas, que atingem percentagens obscenas, rapinantes, como se fossem praticadas, não pelos "mercados", mas por piratas independentes ou corsários ao serviço de sua Majestade. Os "mercados" funcionam hoje como autênticos corsários ao serviço da banca de investimento, que perdeu biliões no subprime e vai perder com a dívida da Grécia. Quer recuperar esse dinheiro.

Deixamos de ter uma economia baseada na produtividade para ter uma economia

de casino, ou seja, de "futuros", "derivativos" e de short-selling, onde os "corsários" ganham sempre, ainda que a economia esteja estagnada. Não havendo crescimento económico, não é possivel ganhar, mas os "corsários" acabam sempre por "rapar", através do assalto às poupanças de cada um... Este sistema de capitalismo está a levar o mundo para o abismo. Se o poder político e económico, não "desarmar" os "corsários", estaremos a abrir caminho aos ditadores da especulação financeira, que conduzirão os países para a bancarrota. Os "corsários" que navegam nas águas dos "mercados" e ali cometem os maiores desvarios, já demonstraram que têm o poder nas suas mãos... Não, não se trata de pura coincidência, nem de uma teoria conspirativa.Vejamos:os "mercados" (ou corsários) impuseram a sua vontade e levaram à demissão de Brian Coewn, na Irlanda; de George Brown, no Reino Unido; de José Sócrates, em Portugal; de José Luis Zapatero, em Espanha; de Panpandreuo na Grécia, e agora de Sílvio Berlusconi, em Itália. Os "mercados"(ou corsários) cobravam ontem 12% pela dívida italiana a dez anos, e 7% a dois anos... No mercado secundário, a dívida portuguesa a dois anos, atingiu os 20%... Com juros destes, os "mercados" (ou corsários), podem derrotar políticos eleitos pelo povo, e levar qualquer país à bancarrota. A "pirataria financeira" vai continuar à solta, até que a tempestade mude de direcção, e os países da UE resolvam acabar com o rebaldaria dos "mercados".



publicado por Evaristo Ferreira às 14:52 | link do post | comentar

mais sobre mim
Abril 2013
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
10
11
12
13

14
15
16
17
18
19
20

21
22
23
24
25
26
27

28
29
30


posts recentes

FIM DE CICLO...

A ENTREVISTA DE SÓCRATES

SÓCRATES NA RTP

PASSOS DE JOELHOS

DESCRÉDITO TOTAL

COM PAPAS E BOLOS...

É A ECONOMIA, ESTÚPIDO!

OS PROFETAS DOS "MERCADOS...

QUE SE LIXE O "PÚBLICO"

OS PAPAGAIOS DO COSTUME

arquivos

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

links
blogs SAPO
subscrever feeds