Quarta-feira, 28 de Setembro de 2011

O país está a ser governado pela Troika, mas o Governo neoliberal

de Passos Coelho aproveita a boleia para ir ainda mais além, abrindo caminho para uma profunda e radical transformação da sociedade portuguesa em conformidade com a agenda do neoliberalismo que percorre a União Europeia. Se o programa de Governo de Passos Coelho for bem sucedido, o país nunca mais volta a ser o mesmo. Para uns ficará melhor, para outros será pior. Para atingir as metas traçadas -- indo mais além da Troika -- o Governo de Passos Coelho, nestes 100 dias de exercício, já tomou algumas medidas aceitáveis, mas tambem implementou outras que pecam pelo seu carácter absurdo, e pela sua inconsistência política. Vejamos tres das medidas tomadas recentemente:

 

INCENTIVOS PARA CRIAR EMPREGO: - O Governo paga 420 euros para quem contratar desempregados à procura de emprego. O sujeito do trabalho precário, o empregado, não tem direito a remuneração. Trabalha para o patrão, à borla, e o Estado ainda paga ao empregador. Isto é um absurdo. O que se pretende, com esta medida? Baixar a taxa de desemprego? Aumentar o índice de produtividade? Ou é pura demagogia?

 

EDUCAÇÃO - PREMIAR OS MELHORES: - O Governo anterior tinha instituido um prémio de 500 euros para premiar os melhores alunos do ensino secundário. O actual ministro da Educação, Nuno Crato, eliminou este incentivo. Não sei qual seria o gasto anual neste prémio. Sei que era um prémio justo para incentivar os melhores, e premiar o esforço dos mais aplicados. Não faz sentido cortar esta "despesa mexeruca", tanto mais que este Governo sempre falou em premiar a competência, o conhecimento, a excelência. O investimento no ensino, nas Universidades, na investigação e na inovação, devem ser a prioridade das prioridades.

 

DESMANTELAMENTO DA CULTURA: - Este Governo reduziu a Cultura a uma simples bilheteira de concertos hard-rock. O Secretário de Estado F.J. Viegas, tambem conhecido pelo "Papa Almoços", empacotou os Teatros nacionais D. Maria II, S. João (Porto), S. Carlos mais a Companhia Nacional de Bailados e a Cinemateca Nacional num Agrupamento Complementar de Empresas (ACE). Sim, tal como fazem os empreiteiros, mestres-de-obras e pedreiros, quando edificam, em conjunto, um edifício de oito ou dez andares... A sigla ACE, até agora, era reservada à construção e obras públicas. O Secretário Viegas, parece encarar a Cultura como uma espécie de obra de caboucos toscos e telhados de zinco... Para poupar 2,5 milhões de euros -- disse O Secretário Viegas. Este valor irrisório, comparado com o "buraco" de 1,113 mil milhões que o soba da Madeira esbanjou, ou os 2,8 mil milhões que os "Irmãos Metralha" do cavaquismo fanaram do BPN, mostra todo o absurdo das medidas tomadas a granel por este Governo de Passos Coelho.

 

 



publicado por Evaristo Ferreira às 16:39 | link do post | comentar

mais sobre mim
Abril 2013
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
10
11
12
13

14
15
16
17
18
19
20

21
22
23
24
25
26
27

28
29
30


posts recentes

FIM DE CICLO...

A ENTREVISTA DE SÓCRATES

SÓCRATES NA RTP

PASSOS DE JOELHOS

DESCRÉDITO TOTAL

COM PAPAS E BOLOS...

É A ECONOMIA, ESTÚPIDO!

OS PROFETAS DOS "MERCADOS...

QUE SE LIXE O "PÚBLICO"

OS PAPAGAIOS DO COSTUME

arquivos

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

links
blogs SAPO
subscrever feeds