Terça-feira, 13 de Setembro de 2011

A partir de Outubro, a Grécia deixa de pagar ordenados e pensões,

por falta de dinheiro em caixa. Se na reunião de hoje, entre Angela Merkel e Sarkozy, ficar decidido que aceitam a "queda progressiva" da dívida grega -- embora Atenas continue no euro -- podemos estar perante uma crise europeia com consequências desastrosas para os países que estão a ser assistidos pela Troika,como é o caso de Portugal e da Irlanda, mas tambem Espanha e Itália, que estão a ser vítimas da gula dos "mercados". O desastre pode ainda afectar a Bélgica e a França, por efeito dos seus défices e da dívida. A banca francesa está a ser penalizada, com fortes quedas das suas acções, devido ao facto de terem em carteira enormes quantidades de obrigações do Tesouro grego.

 

A tragédia grega, a acontecer, vai tambem penalizar os grandes

bancos de investimento americanos, designadamente o Goldman Sachs, que sempre "ajudou" a Grécia a "mascarar" as suas contas públicas, para poder entrar no clube do Euro. O tsunami in progress é de tal ordem que até o Secretário de Estado do Tesouro americano, Timothy  Geithner, vem à Europa para assistir a uma reunião com os seus congéneres da Zona Euro. Por outro lado, se a Grécia for abandonada ao seus destino, a Troika deverá fazer  mea culpa, devido à forma e ao conteúdo dos acordos impostos à Grécia, que não tiveram em conta a profunda recessão a que conduziriam a economia grega. Os acordos deviam comtemplar prazos mais dilatados, juros mais suaves. A falência do acordo, embora se diga que será por inépcia de Atenas, é tambem um falhanço do esquema montado pela Troika. Vamos esperar pela decisão de Merkel e Sarkozy.

Decididamente, nada do que disse Pedro Passos Coelho sobre os

"mercados" está a acontecer. Tem acontecido o contrário daquilo que Passos prometeu. Os "mercados" -- dizia ele -- não têm confiança em José Sócrates. Eu formarei uma equipa de "gente credível, honesta e competente" para acalmar os "mercados". Os juros da dívida vão descer e os "mercados" vão dar-nos crédito... Tem-se visto, como os "mercados" gostam desta "gente honrada". Os juros, que à data da rejeição do PEC-4 estavam nos 6,35%, atingiram os 13% no dia 10. O Financial Times e o Wall Street Journal, deixarem de pedir entrevistas a Passos Coelho... José Sócrates sabia que tinha acontecido uma "crise financeira" glogal, mas Passos Coelho e os seus acólitos só agora descobriram a "crise internacional"... Foi assim, através do ódio e da mentira, que chegaram ao "pote".



publicado por Evaristo Ferreira às 14:46 | link do post | comentar

mais sobre mim
Abril 2013
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
10
11
12
13

14
15
16
17
18
19
20

21
22
23
24
25
26
27

28
29
30


posts recentes

FIM DE CICLO...

A ENTREVISTA DE SÓCRATES

SÓCRATES NA RTP

PASSOS DE JOELHOS

DESCRÉDITO TOTAL

COM PAPAS E BOLOS...

É A ECONOMIA, ESTÚPIDO!

OS PROFETAS DOS "MERCADOS...

QUE SE LIXE O "PÚBLICO"

OS PAPAGAIOS DO COSTUME

arquivos

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

links
blogs SAPO
subscrever feeds