Sexta-feira, 19 de Agosto de 2011

Em tempo de férias, permito-me recordar aqui velhas leituras.

"... sugeri a Jacinto que subíssemos à Basilica do Sacré-Coeur, em construção nos altos de Montmarte [Paris[. [...] Sob o céu cinzento, a cidade jazia toda cinzenta, como uma vasta e grossa camada de caliça e telha. [...] Aí estava pois a Cidade, augusta criação da Humanidade. [...] O homem pensa ter na Cidade a base de toda a sua grandeza e só nela tem a fonte de toda a sua miséria. Vê, Jacinto. Na Cidade perdeu ele toda a força e beleza harmoniosa do seu corpo, e se tornou esse ser ressequido e escarnifrado ou obeso e afogago em unto, de ossos moles como trapos, de nervos trémulos como arames, com cangalhas, com chinós, com dentaduras de chumbo, sem sangue nem febra, sem viço, torto, corcunda -- esse ser em que Deus, espantado, mal pode reconhecer o seu esbelto e nobre Adão! Na Cidade findou a sua liberdade moral: cada manhã ela lhe impõe uma necessidade, e cada necessidade o arremessa para uma dependência: pobre e subalterno, a sua vida é um constante solicitar, adular, vergar, rastejar, aturar, [...] Mas o que a Cidade mais deteriora no homem é a Inteligência, porque ou lha arregimenta dentro da banalidade ou lha empurra para a extravagância. Nesta densa e pairante camada de Ideias e Fórmulas que constitui a atmosfera mental das Cidades, o homem que a respira, nela envolto, só pensa todos os pensamentos já pensados, só exprime todas as expressões já exprimidas -- ou então, para se destacar na pardacenta e chata rotina e trepar ao frágil andaime da gloríola, inventa num gemente esforço, inchando o crânio, uma novidade disforme que espante e detenha a multidão como um mostrengo numa feira. [...] Deste terraço, junto a esta rica Basílica consagrada ao Coração que amou o Pobre e por ele sangrou, bem avistamos nós o lôbrego casario onde a plebe se curva... [Na Cidade] o burguês triunfa, muito forte, todo endurecido no pecado -- e contra ele são impotentes os prantos dos Humanitários, os raciocínios dos Lógicos, as bombas dos anarquistas. Para amolecer tão duro granito só uma doçura divina. Eis pois a esperança da Terra novamente posta num Messias!... Um decerto desceu outrora dos grandes Céus: e, para mostrar bem que mandado trazia, penetrou mansamente no mundo pela porta de um curral. Mas a sua passagem entre os homens foi tão curta! [...] Esse adorável filho de Deus teve demasiada pressa em recolher a casa de seu Pai! E os homens a quem ele incumbira a continuação da sua obra [...] bem depressa esqueceram a lição da Montanha e do lago Tiberíade -- e eis que por seu turno revestem a púrpura, e são Bispos, e são Papas, e se aliam à opressão, e reinam com ela, e edificam a duração do seu reino sobre a miséria dos sem-pão e dos sem-lar!"

 

Este texto faz parte de "A Cidade e as Serras" de Eça de Queiroz, escrito no final do século XIX, quando a Basílica do Sacré-Couer estava em construção no monte de Montmartre, em Paris. O personagem Zé Fernandes explica a Jacinto o lado negro da vida nas grandes cidades, e, a partir daqui convencê-lo-á a viajar para Portugal, até Tormes, sua terra natal, onde Jacinto descobrirá a alegria de viver, em contacto com a vida rural e campestre.

As linhas finais deste texto, permito-me dize-lo, reforçam a ideia expressa no meu post de ontem sob o título "O Pastor Alemão".



publicado por Evaristo Ferreira às 12:13 | link do post | comentar

mais sobre mim
Abril 2013
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
10
11
12
13

14
15
16
17
18
19
20

21
22
23
24
25
26
27

28
29
30


posts recentes

FIM DE CICLO...

A ENTREVISTA DE SÓCRATES

SÓCRATES NA RTP

PASSOS DE JOELHOS

DESCRÉDITO TOTAL

COM PAPAS E BOLOS...

É A ECONOMIA, ESTÚPIDO!

OS PROFETAS DOS "MERCADOS...

QUE SE LIXE O "PÚBLICO"

OS PAPAGAIOS DO COSTUME

arquivos

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

links
blogs SAPO
subscrever feeds