Segunda-feira, 19 de Novembro de 2012

Temos um Governo de ministros, técnicos, peritos, assessores, e conselheiros.

Parecendo curto, este Governo é um vasto conglomerado de interesses partidários, ideológicos e de classe. Em tempos de paz, nunca tivemos um Governo tão extenso, tão pesado, e tão pouco eficaz. Temos um ministro (o Álvaro) que, por incompetente ou por inaptidão, foi despojado de quase todas as funções relacionadas com o seu giga-ministério. Temos uma ministra da Lavoura que, na sanha da inovação, obrigou o pessoal a trabalhar sem gravata, para poupar energia. Temos uma ministra da Justiça que, em ano e meio de reciclagem das leis e códigos deste país, ainda não conseguiu reformar a nossa Justiça. Temos um ministro dos Negócios Estrangeiros que, para fugir à fotografia do Governo, andou a viajar durante mais de um ano, com o objectivo de vender a imagem de Portugal. E temos mais dois ou três ministros, dos quais nem é necessário falar, pois têm como função executar as ordens de Passos Coelho. Passado este tempo, verificamos que o ministro Álvaro voltou à ribalta (embora depenado de algumas funções), e discursa como um vencedor, mas sem animar o pessoal. A ministra da Lavoura, depois de falhar a criação do Banco de Terras, continua nas suas orações e esperançada em mais fundos do QREN. A ministra da Justiça, que fazia lembrar a Joana d'Arc, cedeu a todos os interesses corporativos, incluindo os senhores juizes e magistrados, e não parece ter força para impôr um novo Código Civil. Paulo Portas, o viajante, apesar de ter sido assessorado pela Comissão de Coordenação do PSD/CDS, não tem conseguido estar à altura do apregoado Partido do Contribuinte. No seio da Coligação, acabou por ceder em toda a linha ao aumento de impostos, e como viajante ao "serviço das exportações portuguesas", tambem não tem feito nada de relevante. Ainda agora, aquando da realização da Cimeira Ibero-Americana, onde poderia contactar com os dignatários dos países sul-americanos, e vender-lhes o que de bom tem Portugal para exportar, negou-se a ir à Cimeira, ali abaixo, em Cádiz, afirmando que preferia negociar a baixa de impostos com o Governo da Maioria. Resultado: Portas abandonou a possibilidadae de incrementar as exportações, e, no plano interno, conseguiu "meio ponto percenrtual" na redução da taxa extra do IRS. Este Governo é uma piedosa e ignorante turma de alunos. Estamos cada vez mais perto da bancarrota... E o ministro Aguiar Branco já anda a vender (ao desbarato) os imóveis do ministério da Defesa, para pagar aos militares. Isto está a descambar para o insólito.

Os angolanos continuam a admirar o "jornalismo de investigação" que

se faz em Portugal... Mas ainda não chegaram à publicação das escutas.

(Cartoon arrastado do Jornal de Angola).



publicado por Evaristo Ferreira às 14:42 | link do post | comentar

mais sobre mim
Abril 2013
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
10
11
12
13

14
15
16
17
18
19
20

21
22
23
24
25
26
27

28
29
30


posts recentes

FIM DE CICLO...

A ENTREVISTA DE SÓCRATES

SÓCRATES NA RTP

PASSOS DE JOELHOS

DESCRÉDITO TOTAL

COM PAPAS E BOLOS...

É A ECONOMIA, ESTÚPIDO!

OS PROFETAS DOS "MERCADOS...

QUE SE LIXE O "PÚBLICO"

OS PAPAGAIOS DO COSTUME

arquivos

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

links
blogs SAPO
subscrever feeds