Segunda-feira, 5 de Novembro de 2012

Vivemos uma situação humilhante, perigosa e a caminho da bancarrota.

O Governo de Passos Coelho fez deste país o refém de todas as desgraças. A situação piora de dia para dia, sem que seja possivel prever o desfecho deste descalabro. Ainda não digerimos o "assalto fiscal" de 2012 e já está programado "o maior aumento de impostos" para 2013. A par desta ameaça, já se fala de um Orçamento Rectificativo para 2013 no montante de mais 831 milhões, devido ao agravamento da recessão. E o povo aqui está , a ser (des)governado pelos neoliberais, habituando-se agora a viver da caridadezinha em vez de se opôr aos desmandos desta "gente honrada". O confisco aos reformados foi, e vai continuar a ser enorme. Apesar disso, o desgoverno é tão incompetente que já estamos a ser governados por funcionários de instituições estrangeiras. O Governo de Passos Coelho falhou os objectivos, desisitiu de governar, eclipsou-se. O povo já odeia esta "gente honrada", que prometeu uma coisa e fez o seu contrário. A situação política degrada-se de dia para dia. As instituições são administradas por esmolas, em duodécimos. O Governo está temente, vive barricado em S. Bento, protegido pela polícia de choque. Nenhum ministro arrisca a deslocar-se sem protecção policial. O cáos instalou-se em S. Bento. A actividade política está inquinada, tal como estão as águas pantanosas. Diria mais: toda a actividade política fede a cloaca. O país cheira mal, por falta de higiene no "rigôr e na transparência" da acção política. Este Governo tem ministros "mortos", que fedem e nao se vê quem possa proceder à sua cremação. O povo queria outro Governo, mas já seria bom para o país, se houvesse apenas uma remodelação governamental. Infelizmente, o PdaR, Cavco Silva, tambem está acantonado, feito refém, no seu Palácio em Belem. A GNR está de prevenção, a cavalo e a pé. Cavaco tem saudades de percorrer o país a pregar Roteiros, mas tem sido vaiado, aqui e alí, e agora tambem já teme o povo que o elegeu. O PR, que deveria ser o árbitro da acção política nacional, está mudo e quedo... Ele, que ainda há dois anos andava pelo país a pregar "há limites para os sacrifícios", e "os portugueses já não suportam mais impostos", está agora refém, mudo e receoso do povo, encurralado no seu Forte de Belem.   

O primeiro-ministro Passos Coelho e o seu Governo, bem como o presidente Cavaco Silva,

vivem isolados, longe do povo que os elegeu-- cada qual no seu Forte Apache --defendido

por forças políciais, exército e milicias privadas. Eles temem ser vaiados e apupados na rua.



publicado por Evaristo Ferreira às 15:09 | link do post | comentar

1 comentário:
De Francisco Clamote a 5 de Novembro de 2012 às 17:21
Diria eu, em resumo: um governo no atoleiro e um PR no buraco. Nestas condições o país ainda terá salvação?


Comentar post

mais sobre mim
Abril 2013
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
10
11
12
13

14
15
16
17
18
19
20

21
22
23
24
25
26
27

28
29
30


posts recentes

FIM DE CICLO...

A ENTREVISTA DE SÓCRATES

SÓCRATES NA RTP

PASSOS DE JOELHOS

DESCRÉDITO TOTAL

COM PAPAS E BOLOS...

É A ECONOMIA, ESTÚPIDO!

OS PROFETAS DOS "MERCADOS...

QUE SE LIXE O "PÚBLICO"

OS PAPAGAIOS DO COSTUME

arquivos

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

links
blogs SAPO
subscrever feeds